Passar para o Conteúdo Principal Top
Ponta Delgada
Câmara Municipal de Ponta Delgada
Câmara Municipal de Ponta Delgada Porta de Futuro
  • facebook
  • youtube
  • instagram
  • twitter
Hoje
Máx C
Mín C

Ponta Delgada é cada vez mais um destino de eventos e de congressos

Ponta Delgada é cada vez mais um destino de eventos e de  congressos
image title
image title
24 Outubro 2019

O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada congratulou-se,  esta manhã, com o facto de Ponta Delgada ser uma “cidade que cada vez mais se manifesta com especial competência para a organização de congressos, de reuniões científicas, profissionais, onde a partilha de saberes tem a oportunidade de fazer eco para os Açores, para o País e para o Mundo”, contribuindo para a dinamização da economia local.
José Manuel Bolieiro falava na sessão de abertura do II Congresso Regional dos Psicólogos dos Açores, um evento “mobilizador e muito cuidado científica e pedagogicamente”, que “honra Ponta Delgada, os psicólogos e a Ordem dos Psicólogos Portugueses”.
O edil destacou o importante contributo dos psicólogos para o bem-estar da sociedade e a importância deste congresso, enquanto espaço de reflexão com a sociedade, para a prossecução do mesmo, e realçou a expectativa quanto às conclusões da iniciativa, que “serão, com certeza, uma boa referência para inspiração para as medidas públicas e empresariais”.
O Presidente considerou a realização deste segundo congresso, sob o lema “Pensar o presente. Projetar o Futuro”, inspiradora não só para  os profissionais da psicologia, mas também para os de outras áreas, e reveladora da intenção de desassossegar consciências.  
Ao destacar o prestígio dos palestrantes, que dá nota da ambição e da capacidade de organização, saudou e elogiou o trabalho de Luz Melo, Presidente da Direção da Delegação Regional dos Açores da Ordem dos Psicólogos Portugueses,  e enalteceu, na pessoa de Francisco Miranda Rodrigues, Bastonário da OPP, o facto de a Ordem afirmar-se não pela via sindical, mas pela via da afirmação da excelência da profissão e da sua importância para a sociedade.
O autarca expressou ainda a sua satisfação pela capacidade de a Ordem saber reconhecer o mérito e homenagear quem se distinguiu na área.
Luz Melo, na ocasião, congratulou-se com a crescente aproximação da Ordem ao poder local, nomeadamente à Câmara Municipal de Ponta Delgada.
O Congresso da OPP decorre em Ponta Delgada, com o apoio da Câmara Municipal, até sábado, com um vasto e heterogéneo programa, que “prestigia não só os seus membros, como também a nossa cidade, por aqui se realizar, e toda a comunidade em geral”.

“Urge reforçar, neste tempo e na sociedade em geral, a promoção de uma cultura pela ética e por uma exigência de dignidade”
O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada defendeu, esta tarde, que “urge reforçar, neste tempo e na sociedade em geral, a promoção de uma cultura pela ética e por uma exigência de dignidade”.
José Manuel Bolieiro falava, como orador convidado, no Psitalk dedicado ao tema “Ética e Deontologia no Exercício Profissional e Impacto na Sociedade”, onde reconheceu que a “promoção eficaz e rápida de uma cultura geral pela ética e por uma exigência de dignidade não é simples”, atendendo a que “envolver cada indivíduo num comportamento comum (…) nunca foi, nem é fácil”. Antes pelo contrário, “ a estabilidade de um entendimento ético partilhado (...)é cada vez mais difícil”.
O edil, baseado na classificação de Zygmunt Bauman de “modernidade líquida”, sustentou que “a nossa vida coletiva é agora líquida e instabiliza princípios e valores, normas e comportamentos”. Esta modernidade reforça a importância da ética.
“Sob o ponto de vista individual, acho, que vale a pena acreditar que sem ética viveremos pior”, afirmou, lembrando que “sem ética não há diálogo entre o honesto e o desonesto”. A ética contribui para a identificação de valores a proteger, com a necessária e adequada feitura das leis, sustentou.
“Como político, autarca e gestor público não tenho dúvidas do bom impacto que a ética e a deontologia no exercício profissional na sociedade”, reiterou, concluindo que “uma sociedade desprovida de uma cultura geral para a ética e para a exigência da dignidade não se defende a si própria e nunca terá condições de regeneração”.